Voltar ao site

Bancada quer investigação sobre aquisição de avançado programa de espionagem desenvolvido em Israel

Foto: Agência Brasil

A bancada do PSOL na Câmara protocolou junto ao Ministério Público Federal (MPF) representação para que o órgão investigue as motivações que levam o governo brasileiro a licitar a compra de uma ferramenta israelense de espionagem. Os deputados também querem entender o porquê desta articulação estar sendo feita pelo filho de Bolsonaro, o vereador Carlos Bolsonaro, junto ao ministro da Justiça, expondo, inclusive, uma disputa com o alto comando militar.

Diferentemente de editais semelhantes ocorridos em outras ocasiões, desta vez órgãos oficiais de investigação que poderiam ser beneficiados diretamente pela ferramenta, como o GSI e a Abin, não estão envolvidos nas tratativas. O edital de licitação em questão é o de nº 03/21, do Ministério da Justiça, no valor de R$ 25,4 milhões, previsto para acontecer hoje.

Segundo a apuração do UOL, em matéria publicada nesta quarta-feira (19/05), "de acordo com fontes, o objetivo final de Carlos Bolsonaro é usar as estruturas do Ministério da Justiça e da PF (Polícia Federal) para expandir uma "Abin paralela", na qual tenha grande influência".

Caso adquirido, o programa Pegasus permitirá o monitoramento de pessoas e empresas sem decisão judicial. Para a líder do PSOL na Câmara, Talíria Petrone, o ato, além de improbo, é inconstitucional, e confirma o intuito de contaminar a gestão pública através de ameaças e aparelhamentos:

"Precisamos entender qual o intuito por trás da compra de um dispositivo como esse. Em plena pandemia , a prioridade deste governo se volta para aquisição de instrumentos usados para perseguir. E mais, por que estaria Carlos Bolsonaro, filho do presidente, articulando a contratação deste serviço para operar no Brasil? Sabe-se que o uso dessa ferramenta israelense dependerá apenas de quem controlará o sistema, ou seja, ela põe em risco a privacidade de pessoas, sobretudo de jornalistas e de quem faz críticas ao governo. Isso precisa ser apurado com o máximo rigor", ressaltou a deputada.

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK